O Seu Problema Nem Sempre é o Verdadeiro Problema

Vamos fazer diferente neste artigo… pegue um papel e uma caneta e vamos escrever. Antes mesmo de iniciar o conteúdo, eu gostaria que você escrevesse as respostas dessas três perguntas:

  1. Hoje qual é o problema que te aflige?
  2. O que realmente você quer para sua vida?
  3. Quais evidencias você possui que mostram que você está no caminho certo?

Responda primeiro antes de continuar lendo o artigo.

Nós temos uma tendência comportamental de tomarmos decisões em nossa vida baseada nas dificuldades e aflições que estamos passando momento presente. É como se tivesse uma dor machucando, na qual queremos eliminar essa dor o quanto antes.

Talvez essa dor seja a dor de um injeção que irá combater uma doença grave que esteja passando, mas como a picada da agulha dói e como o remédio que entra em seu corpo queima, você quer tirar a injeção antes mesmo de terminar toda a aplicação. Observe que a decisão é baseada no agora!

Nós não temos o hábito de pensar a longo prazo, ou seja, decidimos baseado no AGORA. Pode ter certeza que essa nossa decisão vai ter um impacto no futuro em nossa vida. Talvez no momento presente você teve um pequeno alívio, mas no futuro haverá consequências.

Existe pessoa que demoram para tomar uma decisão, mas essa demora não significa que ela está planejando antes de decidir, na maioria das vezes está ouvindo opinião de terceiros. Lógico que existe as excessões… mas nem vem ao caso nesse momento. Se você for a excessão, parabéns.

É por esse motivo, que antes de uma decisão, ainda se essa envolve terceiros, precisamos elaborar planos antes mesmos de decidir.

Veja o que diz em Provérbios 21:5 “Quem planeja com cuidado tem fartura, mas o apressado acaba passando necessidade.”

Eu não sei o que você respondeu na primeira pergunta, mas muitas pessoas nesse momento passam por dificuldades financeiras. Então irão dizer que seu PROBLEMA é o FINANCEIRO.

Conhece alguém assim?

Agora deixa eu te explicar, o problema financeiro não é verdadeiramente o problema. Esse “problema financeiro” é a consequência do real problema que a pessoa passou ou está passando.

E você vai perceber que isso é uma verdade, porque você já deve ter conhecido uma pessoa que estava tendo “problemas financeiros” em sua vida e alguém foi lá e abençoou ele e até que por alguns meses ele ficou bem, mas depois estava reclamando novamente que estava sem dinheiro.

O que aconteceu nesse caso?
R.: Aconteceu que foi tratado e trabalhado na consequência do problema e não na causa raiz do problema.

Ficar sem dinheiro é a consequência do REAL PROBLEMA, certamente essa pessoa pode ter um padrão emocional que pode fazer ele gastar mais do que ganha. Quando essa causa for tratada, aí sim o problema será solucionado.

Apesar da Bíblia nos ensinar a poupar, muitos não desenvolveram esse padrão de comportamento, veja o que fala em Provérbios 6:6-8: “Preguiçoso, aprenda uma lição com as formigas! Elas não têm líder, nem chefe, nem governador, mas guardam comida no verão, preparando-se para o inverno.”

Infelizmente o que ganhamos hoje, gastamos hoje e já fazemos dívidas para o amanhã!

E muitos desses gastos em excessos são problemas emocionais que estão enraizado em nosso ser, talvez você quer ter aquele “carrão top” para ser aceito no grupo, ou para mostrar que você pode e por aí vai.

Reflita nessa frase:
“Compramos coisas que não precisamos, com dinheiro que não temos, para impressionar pessoas de quem não gostamos.”

Me explique: “Cadê a sabedoria que Deus lhe deu?

“Os sábios são recompensados com riquezas, mas a recompensa do tolo são as suas próprias tolices.” Provérbios 14:24

Então meu irmão e minha irmã, se pergunte: “Qual é verdadeiramente seu problema?”

Não queira trabalhar na consequência do problema, e sim trabalhe na causa dele!

Observação:
Sobre as outras duas perguntas irei deixar para outro artigo, afinal esse está ficando grande demais.
Clique Aqui para continuar lendo referente a pergunta 2.

Engenheiro da Computação e Pós-Graduado em Gerenciamento de Projetos. Certificado internacionalmente em Coaching: Executive, Leader As a Coach e Personal & Professional Coaching® reconhecidas pela SBC (Sociedade Brasileira de Coaching), pelo BCI (Behavorial Coaching Institute – EUA) e pelo ICC (International Coaching Council – EUA).



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *